Noticia Blog

Ansiedade e comida, o que fazer?

Categoria: Alimentação
Data: 29/09/2017
Por: Rede Clinica Popular

O Brasil está no topo da lista das nações com maior número de pessoas ansiosas. Quase 10% da população sofre com algum tipo de distúrbio de ansiedade. A psicóloga Rogeria Taragano, do Programa de Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, explicou maneiras para lidar com a ansiedade. E quem come muito quando está ansioso? A nutricionista Isabela Pimentel contou quais os alimentos ajudam a controlar a ansiedade.

A ansiedade está ligada a questões emocionais. A correlação entre ansiedade e busca pelo prazer rápido faz da comida uma válvula de escape. Alguns gatilhos podem desencadear crises de ansiedade, como angústia, tristeza e frustrações mal resolvidas e a comida pode ser um elemento de prazer imediato quando a angústia e a tristeza estão muito presentes.

 

Para as pessoas ansiosas, o doce funciona como um remédio, mas a pessoa precisa refletir sobre o que desencadeia a ansiedade e mudar de atitude. Por exemplo, se a pessoa está triste, nervosa ou estressada, a solução não estará no chocolate. O ideal é refletir e mudar o foco. O mecanismo de ação dos doces no controle da ansiedade está relacionado ao aumento da insulina causado pela absorção rápida dos açúcares.

 

Opte por grãos integrais que ajudam na produção de serotonina e contribuem para o funcionamento do intestino, frutas cítricas que reduzem a liberação do cortisol, conhecido como hormônio do estresse, alface possui uma substância que tem efeito calmante, chicória é considerada um prebiótico, banana verde também com efeito prebiótico, iogurte e leite que contém aminoácido que atua como precursor da serotonina. Camomila também apresenta um efeito calmante.

 

Intestino saudável


Um intestino saudável ajuda a reduzir a ansiedade. Muitos estudos apontam a importância da microbiota na saúde emocional, incluindo a redução da ansiedade. Para manter o órgão funcionando bem, a receita é optar sempre por alimentos in natura (frutas, verduras e legumes). Bactérias saudáveis favorecem a redução do cortisol, o aumento da serotonina e o aumento de substâncias relacionadas à memória e aprendizagem.

Outra dica importante é manter 12 horas de jejum noturno (a pausa alimentar noturna auxilia na reposição da microbiota). Reduza também o consumo de alimentos refinados, de açúcar e bebidas alcoólicas.

 

 

Deixe seu comentário: